Elis Regina, Patrimônio Nacional

Outubro de 1980, ditadura terminando. Mas a mão de ferro dos militares ainda pesava sobre nossa vida. Me lembro de ter passado na Praia do Flamengo justo na hora em que a porradaria estava rolando entre a UNE e a PM, para desocupar a sede. Alguns minutos de terror, para um garoto de 12 anos.

Uma mulher cheirando uma flor, com as inscrições Elis Regina Carvalho Costa.
Capa do DVD

Elis Regina na época era simplesmente a melhor cantora do Brasil (não que não seja mais). Tinha um relacionamento com o Cesar Camargo Mariano, que esta época estava meio estremecido.

A Rede Globo resolveu então fazer um especial Grandes Nomes com ela. Convidaram o Daniel Filho para a direção e foram. O especial é sensacional e irrepreensível. E em um determinado ponto, ela começa a cantar canções de amor, com somente uma cadeira no palco. Primeiro ela canta “Essa Mulher” de Joyce e da Ana Terra:

De manhã cedo essa senhora se conforma
Bota a mesa, tira o pó, lava a roupa, seca os olhos
Ah, como essa santa não se esquece
De pedir pelas mulheres, pelos filhos, pelo pão
Depois sorri meio sem graça
E abraça aquele homem, aquele mundo que a faz assim feliz
De tardezinha essa menina se namora
Se enfeita, se decora, sabe tudo, não faz mal
Ah, como essa coisa é tão bonita
Ser cantora, ser artista, isso tudo é muito bom
E chora tanto de prazer e de agonia
De algum dia, qualquer dia entender de ser feliz
De madrugada essa mulher faz tanto estrago
Tira a roupa, faz a cama, vira a mesa, seca o bar
Ah, como essa louca se esquece
Quanto os homens enlouquece nessa boca, nesse chão
Depois parece que acha graça
E agradece ao destino aquilo tudo que a faz tão infeliz
Essa menina, essa mulher, essa senhora
Em quem esbarro a toda hora no espelho casual
É feita de sombra e tanta luz

Neste momento, a atitude de Elis muda. E vem a próxima música: “Atrás da Porta” (Francis Hime/Chico Buarque), e acontece isso:

Nunca em minha vida vi uma interpretação tão verdadeira, tão emocionada. Isso é arte em sua forma mais pura, onde o sentimento do artista está todo sendo posto para fora naquele momento.

O Cesar, alguns minutos depois, toca duas músicas com ela, o que relaxa o ambiente. Segundo Daniel Filho, alguns dias depois, eles assistiram ao especial na casa dele e se reconciliaram, para se separar definitivamente algum tempo depois.

Dois anos depois, morre Elis. Com ela morre uma história de cantoras sensacionais. Cantoras que conseguiam traduzir pela voz, sem medo, uma história de vida, e sentimentos realmente vivos

Mas, ela nos deixou essas coisas:

Amplexos emocionados.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s