A Banda mais Improvável do Mundo

Eles tinham tudo para dar errado. Pessoas erradas, no local errado, tocando a música errada. Primeiro ensaio. Somente barulho. Pareciam dois transatlânticos batendo no porto. Mas tinham aquela sensação de “putz, que som! vai dar certo!”

Uma banda de Soul com 10 integrante, sete homens e três mulheres, todos vestidos de preto e com seus instrumentos, em um local sujo e entre ruínas.
Tirado de uma foto que eles fazem no filme

Todos os elementos do rock. Um babaca de carteirinha (Sorry, Ritchie who?!). Um que c**e todas as mulheres (Seria um Mick something?). Um desertor precoce (Pete Best, alguém?!) e alguns virtuoses.

Todos têm a mesma reação quando convidades para a banda: Eu?! Porque? E todos aprendem que tem grande talento. Todos evoluem e se descobrem talentosos. Pena que todos estavam lá por motivos certos para eles, mas errados para a banda. Todos queriam a mesma coisa, mas queriam sozinhos. E uma banda se faz junto.

Já tive a sensação de criar um grupo do zero. Sei como é a sensação de evoluir aos poucos e conseguir soar como uma banda. Fazer música, ou algo próximo disso. Só se faz isso pensando junto. A brincadeira do calendário, que eu tinha com os músicos da banda em que toquei, só se faz com quem tem desprendimento para isso (a cada erro reiniciávamos a contagem para o “recorde” de dois anos sem errar que um panaca bradava ter). Eles não tinham isso.

Música para eles era um escape. Mas tinha de dar certo, pois senão eles não conseguiriam se manter. Economia ruim, todos pobres. Era difícil. Mas não havia quem os ouvisse que não se animasse. Sensacionais. E o melhor, dá para levar para casa:

Sim. É um filme. Nada de James Cameron com suas superproduções cheias de efeitos. É cinema mesmo, com “C” maiúsculo. Chama-se Alan Parker, o mesmo de O Expresso da Meia-Noite, Fama, Pink Floyd The Wall, Asas da Liberdade, Coração Satânico e Mississipi Em Chamas, dentre muitos outros. Mais uma palha:

I’m black, and I’m proud of it:

E, por fim, como dizia Jimmy:

We skipped the light fandango, / Turned cartwheels ‘cross the floor / I was feeling kinda seasick / But the crowd called out for more.

Bonus: Algumas cenas que não entraram no filme:

Amplexos.

4 comentários Adicione o seu

    1. Marcelo Rosa disse:

      Confitê, sempre prolixo. Mas você gostou da banda ou do texto?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s