Dois poemas…

Uma homenagem ao final de minhas férias com minha filha.

Estou longe de ser um pai perfeito. Na verdade tenho muitas falhas, por vezes magoo ela com isso. Mas tento sempre me redimir e compensar isso. E uma coisa não me falta: amor pela minha filha.

Ontem ela foi embora. E tive de me explicar aos porteiros do meu prédio o porque de meus olhos cheios de lágrimas quando entrei de volta. A casa está vazia. Não tenho mais o matraquear constante da voz dela falando 250% do tempo nos meus ouvidos. E meu coração está silencioso também. Seguem dois poemas que refletem muito essa sensação:

Tua graça caminha pela casa
Moves-te blindada em abstrações, como um T. Trazes
A cabeça enterrada nos ombros qual escura
Rosa sem haste. És tão profundamente
Que irrelevas as coisas, mesmo do pensamento.
A cadeira é cadeira e o quadro é quadro
Porque te participam. Fora, o jardim
Modesto como tu, murcha em antúrios
A tua ausência. As folhas te outonam, a grama te
Quer. És vegetal, amiga…
Amiga! direi baixo o teu nome
Não ao rádio ou ao espelho, mas à porta
Que te emoldura, fatigada, e ao
Corredor que pára
Para te andar, adunca, inutilmente
Rápida. Vazia a casa
Raios, no entanto, desse olhar sobejo
Oblíquos cristalizam tua ausência.
Vejo-te em cada prisma, refletindo
Diagonalmente a múltipla esperança
E te amo, te venero, te idolatro
Numa perplexidade de criança.

Essa foi de Vinícius. A próxima é de Nando Reis:

Desde que você chegou
O meu coração se abriu,
Hoje eu sinto mais calor
E não sinto nem mais frio,

E o que os olhos não vêm
O coração pressente,
Mesmo na saudade
Você não está ausente

E em cada beijo seu
E em cada estrela do céu
E em cada flor no campo
E em cada letra no papel

Que cor terão seus olhos
E a luz dos seu cabelo
Só sei que vou chamá-lo
De Ismael, Ismael…

Amplexos saudosos…

1 comentário Adicione o seu

  1. Karina disse:

    Lindos os poemas escolhidos, assim como a declaração explícita de amor pela sua filha. Eu, como filha que sou, apaixonada por meu pai, a quem venero (apesar de todos os defeitos), digo que esse tipo de declaração é uma das coisas que mais me comovem. Sei que muitas vezes (ou na maioria das vezes) as atitudes são mais importantes do que as palavras, mas se não podemos expressar o enorme amor através delas, para que elas existiriam também?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s