Porque o Brasileiro não entende o significado de “não pode”?

Berlim, Outono de 2012. Ok, Vou mudar, porque já usei esse início e ficou ridículo.

Em Outubro de 2012 eu fui a Berlim. Poderia falar um monte aqui sobre como Berlim é foda pra caralho.

Berlim é foda pra caralho e eu quero morar lá quando crescer (pena que não cresço mais).

Foco.

Fiquei hospedado no InterContinental Hotel, na Budapester Strasser, próximo ao TierGarten. E no caminho para o local onde estava trabalhando, eu cruzava esta avenida, em frente ao Zoo.

O círculo mostra exatamente onde eu atravessava. Duas pistas, ida e volta. Devido à configuração de tempo dos sinais de trânsito, dava para atravessar tudo de uma só vez. Mas não pode.

O fato é que o sinal de pedestre fica fechado para meia pista, pedindo para os pedestres esperarem o próximo ciclo para passarem. Coisa de um minuto ou um pouco mais. Só que eu sou brasileiro, né?

Pois é, atravessava a porra toda de uma só vez. Até que um dia, metade das pessoas na rua pararam para olhar para mim, com aquele ar de reprovação que só os alemães sabem dar. Nunca mais atravessei daquele jeito. E isso me fez pensar.

Porra, temos milhares de exemplos desses no Brasil diariamente. O brasileiro não sabe o significado de “não pode”. Se um cara estaciona no meio da calçada, e é interpelado por alguém que não esteja com um bloco de multas na mão, ele vai dizer: “- Onde é que eu vou parar?”, como se o mundo tivesse de se moldar à sua necessidade de estacionar.

Motociclista na calçada? A resposta é: “- Não tava atrapalhando ninguém!”

“- Coloquei só duas rodas na calçada, mas arranharam meu carro, um bando de bárbaros!”

Carro é onde isso fica mais evidente, mas somos assim em tudo. Não pode não significa nada para os brasileiros. A não ser que estejamos do lado fraco da coisa. Explico:

O governo empresta dinheiro dos bancos estatais para pagar benefícios sociais. Quem recebe os benefícios nem liga. Quem defende o governo vai dizer que o governo é magnânimo, sacrificando-se para pagar benefícios sociais. E todos vão dizer que que é contra é malvado, chato, feio e bobo.

Qual parte do “NÃO PODE” não deu para entender? Não pode é não pode! O fato de o motivo ser nobre não justifica, assim como eu não posso machucar alguém mortalmente só para defender um princípio nobre. Não pode e pronto.

Lixo. Não pode jogar lixo nos rios. Isso impede as pessoas de jogar? Infelizmente não, e sempre que a água bate na bunda, aqueles que jogaram lixo nos rios fazem o que? Culpam o governo e pedem doações.

Trânsito e Governo e lixo. Três exemplos, mas podemos achar muitos mais. Sou defensor de que vivemos ainda na idade média. Se o Brasil começar a estudar, podemos sair disso e começar a evoluir como nação, mas sério, alguém acredita que isso vai acontecer a médio prazo?

Infelizmente, eu não posso acreditar nisso.

Amplexos tristes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s